Entrevista: Oswaldo Fernandes e o mundo do Motociclismo

Entrevista: Oswaldo Fernandes e o mundo do Motociclismo

Publicado em 18 de setembro de 2015 por SPOT Brasil

“O uso dos aparelhos SPOT é fundamental para os motociclistas. Além de ser um canal de informação e rastreamento, a possibilidade de poder enviar um sinal de emergência e saber que de alguma forma a ajuda será acionada traz muito mais segurança”, afirmou o diretor da OMNO – Motorcycle Company Support, Oswaldo Fernandes Jr., em entrevista à SPOT Brasil. Aos 51 anos, Oswaldo é diretor técnico da CBM (Confederação Brasileira de Motociclismo), na modalidade moto turismo, e carrega na bagagem a experiência em longas viagens, com rotas pela América do Sul, Portugal, Espanha, Marrocos, Islândia e Estados Unidos. O diretor também é instrutor para cursos de primeiros socorros pela National Safety Council além de coordenar o programa para formação e capacitação em motociclismo. Confira, abaixo, nossa entrevista com o guru do motociclismo brasileiro.

Oswaldo motociclismo Brasil

 

SPOT Brasil: Como começou a sua paixão por motocicletas?

Oswaldo Fernandes: Trabalhava como executivo de uma empresa na área de tecnologia e procurei no motociclismo uma forma de entretenimento e lazer. A paixão foi imediata e, de umas voltinhas no quarteirão, logo evoluí para atividades de moto turismo. Viajei por mais de 18 países de moto e abri uma empresa com atividades relacionadas a motociclismo. Consegui reunir a minha paixão e a profissão.

 

SPOT Brasil: Você já praticou outros esportes radicais além do motociclismo? Quais?

OF: Quando era mais novo velejava e praticava windsurfe.

 

SPOT Brasil: Qual foi o destino mais radical em que você já esteve?

OF: É difícil escolher o mais radical. Talvez seja a aventura de atravessar sozinho o extremo norte da América do Norte, da região de Fairbanks a Proudhoe Bay, no Alasca. Uma estrada de terra de 900km, com frio de zero graus, chuva e neve. Lá, descobri qual é o meu limite em situações tão adversas.

 

SPOT Brasil: Existe algum lugar do mundo que você ainda quer conhecer?

OF: Todo ano desenvolvo um projeto pessoal de viagem. Em 2014, fiz a Costa Leste dos EUA. Acabei de chegar do Alasca e meu novo projeto, para 2016, é percorrer a Austrália. Na minha futura expedição, planejo dar uma volta por todo o país, visitar aldeias de aborígenes, conhecer o monte Uluru, as paisagens da Tasmânia e as cidades de Sydney e Melbourne.

 

Oswaldo Fernandes motociclismo

SPOT Brasil: Há quanto tempo você utiliza os aparelhos da família SPOT?

OF: Utilizo os aparelhos SPOT deste 2012, quando fiz minha primeira viagem aos países da América do Sul. Atravessei a cordilheira em vários pontos, rodando quase 15 mil km em 20 dias. Na época, pesquisei aparelhos para me auxiliar quanto ao mapeamento, rastreabilidade e segurança da viagem. Encontrei o SPOT e nunca mais o tirei da minha mala.

 

SPOT Brasil: Qual é o principal uso que você faz dos aparelhos SPOT em suas expedições?

OF: Compartilho minhas viagens e aventuras com a família, amigos e parceiros através da tecnologia SPOT. Esta possibilidade proporciona tranquilidade para eles e um meio de comunicação e informação para mim, mesmo nos locais mais remotos em que minhas aventuras são propostas.

 

 

 

SPOT Brasil: Qual é a importância do SPOT Gen3 para um motociclista?

OF: O uso do SPOT Gen3 é fundamental. Além de ser um canal de informação e rastreamento, a possibilidade de poder enviar um sinal de emergência e saber que de alguma forma a ajuda será acionada traz muito mais segurança ao motociclista. Sabendo que temos uma grande tecnologia a nosso favor, a SPOT Brasil contribui pelo favorecimento do controle emocional, tanto do piloto quanto dos familiares.

 

SPOT Brasil: Atualmente você é diretor da OMNO – Motorcycle Company Support. Qual é a importância do treinamento para os motociclistas amadores e profissionais?

OF: Conhecer, adequar e aprimorar técnicas e boas práticas são sempre importantes. A cada ano novas tecnologias são implementadas às motocicletas e as roupas e acessórios também evoluem muito rápido. Desta forma, os treinamentos teóricos e práticos são fundamentais para aumentar a segurança dos motociclistas em vias urbanas, estradas e longas viagens.

 

SPOT Brasil: Como você elabora as provas de resistência da Confederação Brasileira de Motociclismo?

OF: Dentro da modalidade moto turismo, desenvolvemos as provas chamadas HIPERAÇÃO, para pilotos que desejam buscar e conhecer seus limites pessoais. Elas são feitas em estradas e vias urbanas, respeitando a regulamentação do código de trânsito. São provas onde o objetivo não é a velocidade, mas sim o controle e planejamento para pilotar por várias horas, durante longas viagens, onde preparo, planejamento, estratégia, condições físicas e emocionais são fundamentais.

 

SPOT Brasil: Como você avalia o atual cenário do motociclismo no Brasil?

OF: Sem dúvida estamos muito defasados em relação às grandes potências mundiais. A indústria brasileira não proporciona os melhores equipamentos, motos e acessórios. As importações são altamente tarifadas. Nossas estradas são mau cuidadas, e as sinalizações inadequadas. Temos péssima infraestrutura de postos, restaurantes, hotéis, serviços médicos, fiscalização e segurança nas estradas. Motociclistas e motoristas não se respeitam. E a forma de pensar de muitos motociclistas ainda é focada na ostentação e vaidade, poucos focam no motociclismo de descobertas e desafios pessoais.

motociclismo estrada brasil

 

SPOT Brasil: Quais mudanças você acha que precisam acontecer para o motociclismo conquistar mais espaço e se tornar um esporte mais conhecido e valorizado pelo público em geral?

OF: Desde o momento de formação de novos motociclistas, as aulas de condução devem ser revistas e melhoradas, priorizando a conscientização quanto aos riscos e à valorização da vida. É preciso melhorar as condições de estradas e vias urbanas. Investir em campanhas e vistorias para não ingestão de bebidas alcoólicas quando na condução de veículos de forma em geral. Redução de impostos, custos e investimentos em motocicletas, equipamentos de segurança, combustível, pedágios e seguros.

 

SPOT Brasil: Qual o seu conselho para os jovens motociclistas?

OF: Respeito. Respeito às boas práticas do motociclismo. Respeito à regulamentação de trânsito. Respeito à cidadania. Respeito aos gostos e interesses diferentes das pessoas. Respeito à vida.


DEIXE UM COMENTÁRIO

Monte Elbrus: Do sonho à vitória

Montanhas Virgens dos Andes, uma grande expedição