Prova de Aventura no Pantanal – Até 50

Prova de Aventura no Pantanal – Até 50

Publicado em 11 de Janeiro de 2016 por SPOT Brasil

Competir em qualquer prova de Corrida de Aventura não é nada fácil. Posso falar com conhecimento, pois habitei este esporte durante alguns anos da minha vida, mais precisamente entre 2004 e 2010, e depois disso, uma ou outra participação.

As dificuldades começam em ter que treinar durante a semana, em mais de uma modalidade, onde além de correr em montanhas, pedalar mountain bike entre 30 e 150 Km, remar em rios, lagos ou corredeiras e ultrapassar obstáculos usando técnicas verticais, você tem que levar uma mochila cheia de ítens obrigatórios: água, alimentação, vestimentas, etc. Ah! Não se perca, pois tudo isso tem que ser feito levando um mapa e navegando, onde um erro pode aumentar bastante a quilometragem da prova.

Prova aventura pantanal joão castro até 50

Concentração antes da prova

 

Dentro do projeto Até 50, estava indo participar do mundial desta modalidade, que aconteceria no Pantanal, em uma prova com 700 km! Já havia desistido de participar, pois a prova é bastante cara e não havia conseguido patrocínio para ela. A participação de uma equipe pode custar aproximadamente uns 30 mil reais!  Há 4 dias aproximadamente da largada, o telefone tocou e fui chamado por um grande amigo, para integrar uma equipe desfalcada! Cabe dizer, que um dos principais desafios neste tipo de prova é o relacionamento entre a equipe. Um quarteto, não podendo ser os quatro do mesmo sexo. Imagina você sendo levado ao limite do seu corpo, cheio de privações, quase sempre sem escolha a não ser continuar, estando com outras 3 pessoas que estão vivendo a mesma coisa. Brigar ou divergir, é fato nesta modalidade, mas o grande desafio é ter conhecimento que isso vai acontecer inúmeras vezes e você tem que sair de lá como entrou, ou seja, amigo de todos. Normalmente, você entra em uma prova dessas com pessoas que você escolheu, conviveu, treinou, mas dessa vez, eu estava aceitando um convite para conhecer dois dos integrantes na hora da prova! Pois é… não deu certo pois tive que sair, mas ao mesmo tempo deu muito certo, pois hoje tenho admiração ainda maior por um dos atletas que já conhecia e ganhei dois novos amigos, pessoas que jamais havia visto.

Esta experiência terminou cedo para mim, mas não me arrependi. Acredito ter preservado exatamente o que é mais importante, o relacionamento com um amigo. A prova começou com 60Km de canoagem, Rio Paraguai acima, depois um trekking de 25 km, mais outra remada de 20 Km e, neste ponto, quando começou a  travessia de uma montanha, meu corpo começou a dar sinais de desgaste. Estávamos perdidos, seguindo outras equipes que se cooperavam na navegação e fui ficando para trás. Neste momento eu pensava em duas coisas, primeiro nas onças, pois a organização havia dito que devíamos permanecer o tempo todo juntos e que jamais alguém deveria ficar sozinho, e segundo a preocupação em estar e ficar perdido.

Neste segundo caso, me tranquilizei imediatamente, pois havia levado meu SPOT Gen3, para que amigos e familiares, pudessem simplesmente acompanhar a corrida em tempo real, puro entretenimento. Nunca pude imaginar que chegaria ao ponto de realmente quase ter que usá-lo, não de maneira drástica, mas por simples localização.

 

Prova pantanal até 50

João entre as etapas da prova

 

Depois de reencontrar a minha equipe e permanecermos parados por aproximadamente 1 hora, junto com as equipes Quasar Lontra e a Selva Terra de Gigantes, continuamos já no caminho certo, até o PC 7 (posto de controle 7), onde dormimos até o amanhecer. Pela manhã continuamos descendo a montanha a caminho do PC 8, onde decidi parar.

Infelizmente, o que mais doeu foi ter que parar, fisicamente inteiro! Não tinha bolhas nas mãos nem nos pés. Após a fraqueza na noite anterior, certamente causada por má hidratação e alimentação, já estava forte novamente e é fato que seguiria com a equipe até o final, mas como disse acima, há coisas mais importantes e nobres do que o projeto Até 50 ou terminar uma prova ímpar como esta, que é a amizade e a admiração por um amigo de longa data. A minha equipe continuou, terminou a prova e fiquei bastante feliz com isso! A Mel, garota da equipe e o Fillipe, atleta já com alguma experiência, foram levados até o final por um dos caras mais experientes e determinado que eu conheço. O nome deste cara é José Pupo. Não conheço ninguém melhor do que ele, para levar e orientar atletas até o final de uma prova desta magnitude. Um verdadeiro líder, com muita bagagem e conhecimento!

Cabe aqui dizer, que de acordo com amigos, o SPOT atualizava a nossa posição mais rápido do que o equipamento usado pela organização e foi bastante grande o número de pessoas torcendo, fazendo comentários no meu site ou na página do Facebook.

prova pantanal aventura joão castro até 50

Atletas da equipe CANOAR no pódio

 

Agradeço em meu nome e em nome da equipe CANOAR Acampamento Aventura, toda a torcida e interesse!

Obrigado à SPOT Brasil pelo apoio. Obrigado à Kailash, marca de roupas e equipamentos outdoor, do amigo Tani, pelas calças de compressão, e obrigado à amiga Mara Pallotta e Fábio Marão, pela grande ajuda de última hora!

Vamos para a próxima!

 


DEIXE UM COMENTÁRIO

Entrevista com Maximo Kausch sobre a Expedição Andes

Entrevista | Pedro Hauck as montanhas e a geografia