24 horas Brasil Ride, o grande desafio

24 horas Brasil Ride, o grande desafio

Publicado em 28 de Abril de 2016 por Tiago Brant

A Brasil Ride 24 Horas acaba de realizar sua segunda edição, mas já pode ser considerada uma prova clássica do Mountain Bike Brasileiro. No final de semana dos dias 05 e 06 de março a “Cuesta” de Botucatu foi mais uma vez sacudida pelos cerca de 248 atletas que disputaram a prova em quatro categorias: sexteto, quarteto, dupla e solo.

O circuito era basicamente o mesmo do ano passado, com uma primeira metade em descida, bastante técnica, e uma segunda metade em subida, bastante dura. Para se ter uma ideia, em 2015 eu não zerei as descidas nenhuma vez e também não consegui fazer nenhuma subida sem descer da bike algumas vezes, efeito do pouco treino. Meu objetivo para 2016 era claro: Pelo menos fazer todas as subidas sem descer da bike!

Minha Trek Top Fuel e os treinos que venho realizando há um ano mostraram seu valor mais uma vez. Não apenas completei todas as subidas sem descer da bike, como também zerei a maioria das ladeiras, incluindo um extenso rock garden no primeiro trecho em descida. Mas calma lá, nada de tão assombroso também, porque é nos pequenos detalhes que se percebe a diferença técnica entre profissionais e amadores. E nesse quesito sou definitivamente um amador com muito ainda para aprender!

 

brasil ride 24 horas

 

A magia de uma prova que dura 24 horas, num percurso fixo de 12 km, reside no passar do tempo e em como esse tempo transforma a trilha e o piloto que percorre a trilha. A cada volta o percurso fica mais familiar, mas isso não é garantia de melhora na performance, porque a cada volta o corpo também está mais desgastado, assim como o equipamento…

Vem a noite, volta o dia e a gente continua pedalando. Como diz Mario Roma, o organizador da prova, “Depois de um dia e uma noite inteira pedalando, quando o novo dia amanhece, pode parecer que o desafio está acabando, mas ainda faltam 6 horas de pedal…” Quem pedala sabe que esse é um tempo enorme em cima da bike, ainda mais depois de 18 horas pedalando!

 

24 horas brasil ride

Equipe reunida final do desafio

 

Ao meio dia de domingo nos é dado conhecer os verdadeiros heróis dessa prova e, como no ano passado, os mais rápidos e resistentes nessa categoria (heróis) foram Raphael Mendes, o Catalão, com 28 voltas e Raquel Gontijo, a Mineirinha, com 17 voltas completas no circuito!

Mas eles não foram os únicos gigantes dessas 24 horas. Para mim, todos os que se atrevem a participar de uma prova como essa já tem sua parcela no paraíso, mas aqueles que participam da categoria solo… esses são latifundiários!

 


DEIXE UM COMENTÁRIO

O mundo do Mountain Bike | Guilherme Cavallari

Maximo Kausch volta aos Andes para feito inédito