Travessias de Asa-Delta: A nova série de Alipio Loyola

Logo que conheci o voo livre, há cerca de 12 anos, tive a clara impressão de que se tratava de um esporte ‘injustiçado’. Não conseguia entender como algo tão fascinante e único, que proporciona tamanha transformação naqueles que vivem esse sonho de fazer travessias, tenha tão pouca visibilidade e retorno.

Ainda durante os primeiros treinos, à medida que ia entendendo a modalidade e tudo que ela podia proporcionar, crescia a vontade de poder compartilhar tudo aquilo com cada vez mais pessoas. São vários elementos: a navegação em ‘3D’ pelo ar, usando apenas térmicas e vento, um equipamento de certa forma simples, com comandos intuitivos… uma combinação que logo tomou conta da minha vida e deixou outros hobbies para trás na escala de prioridades. Em conversas de bar, acabei arrastando muitos amigos para também começarem a voar. Mas sempre achei que o esporte, e todos os pilotos que há décadas o mantém vivo, mereciam mais.

Fazer travessias por vários quilômetros com as próprias asas, sem qualquer motor, tem que ser um prazer disponível a mais pessoas. Desde a faculdade de comunicação, a asa-delta acabou estando presente em vários pequenos trabalhos que fiz ligados a mídia. Com os anos, esse desconforto evoluiu até resultar em alguns rascunhos, pré-roteiros e slides de apresentação. Nascia ali a ideia de uma série de TV sequencial, uma estória que teria como principal fio condutor o voo livre de ‘cross country’ – no meu entendimento, a forma mais pura do voo humano. Nascia ali a série ‘Revoada’, o conceito original que evoluiria para o Canal Off com o título ‘Travessias de Asa-Delta’.

Alipio Loyola Revoada Rascunhos em 2015 SPOT Blog

Uma pausa na carreira corporativa ao final de 2015 foi o momento certo para começar a tirar ideias da gaveta. A boa parceria com a produtora Canvas 24p e a receptividade do Off para uma nova série de voo livre foram a ‘tempestade perfeita’ para tudo se concretizar. A pedido do canal e com ajuda de bons amigos, produzimos um clipe-piloto de 7 minutos, com imagens do Rio de Janeiro e de alguns voos em Brasília; testando os novos recursos de captação e a linguagem que pretendíamos usar no programa e nas nossas travessias.

Ao longo do processo de aprovação, o projeto foi tomando algumas formas e mudando seus roteiros, até finalmente conseguirmos trazer o Beto Schmitz. Uma honra sem tamanho poder contar com um dos maiores mestres do voo livre – oito vezes campeão brasileiro – para ser nosso mentor durante as travessias. Com a proximidade da primavera, acabaríamos tendo que gravar em novembro. Então a ideia de levar a série para o sertão do Nordeste partiu do Marcelo Abbott, e acabou sendo a melhor de todas as nossas decisões. Naquela época do ano, o sertão seria, provavelmente o único lugar do mundo onde teríamos uma rota de 11 voos em sequencia, com chance de voar todos os dias. Aproveitaríamos a rota praticada pelo Rally SOSertão, organizado pelo Chico Santos, e adicionando rampas na Bahia, Alagoas e Pernambuco, para deixar a expedição ainda mais longa e abrangente ao Nordeste.

Beto Schmitz Travessias de Asa Delta SPOT Blog

Deu certo. Em outubro de 2016, lá estava eu pegando estrada de São Paulo para Brasília cheio de equipamentos, para encontrar com Betinho e com a nossa amiga Marina Godoy que tinha curiosidade pelo esporte e topou ser a nossa resgate. Lá também conheci o Tulio Ferreira, um dos primeiros alunos do ‘Mestre’, que seria o motorista do carro de produção e um verdadeiro anjo da guarda de toda nossa operação, que ia muito além do que aparece na TV. Mais dois dias de estrada estávamos em Natal para encontrar o Marcelo com sua asa, para então partirmos para o início das gravações do ‘Travessias‘ em Salvador já a bordo das nossas duas Volkswagen Amarok. Era a concretização de um sonho e a ficha ainda não tinha caído.

Era tudo muito novo para muita gente. A equipe de produção nunca tinha visto uma asa-delta de perto. O elenco – com exceção do Betinho – nunca tinha participado de uma produção audiovisual. Eu, apesar de alguma experiência em vídeo, nunca tinha vivido nada parecido com dirigir e ‘atuar’ – em solo e no ar, tudo ao mesmo tempo – um projeto tão longo, complexo e experimental. O primeiro episódio, em Conceição da Feira-BA, tinha tudo para ser um grande laboratório. E foi.

É interessante neste tipo de produção de ‘guerrilha’, com 25 dias previstos de viagem para gravar 11 episódios, que a temporada a segue uma crescente. Ao longo dos dias, íamos aprendendo o que funcionava melhor.  A equipe ia entendo melhor a dinâmica das decolagens e dos voos; e toda a evolução foi melhorando cada vez mais o ‘storytelling’.

Elenco Travessias de Asa Delta SPOT Blog

Além da nossa curva de aprendizado, a meteorologia nos primeiros dias apresentou uma certa umidade nos arredores de Salvador, dificultando o primeiro episódio em Conceição da Feira e influenciando também o segundo, em Santa Terezinha. A partir do episódio 03, em Jacobina-BA, a brincadeira como um todo foi arredondando, fomos adentrando cada vez mais o sertão e tudo começou a atender bem melhor às expectativas; e às vezes até superá-las com folga. Os pilotos naturalmente também foram ficando mais cascudos com a rotina das travessias diárias.

Ainda na primeira semana já dava para sentir que seria uma das experiências mais gratificantes da vida. Foi emocionante o processo de partir do rascunho, ver aquilo tudo se materializar e ganhar corpo; poder planejar, protagonizar e, principalmente, compartilhar aquela experiência com uma equipe de nove pessoas, vivendo aquilo tudo e se dedicando intensamente por vários dias. Depois dessa convivência para lá de intensa, viramos, acima de tudo, grandes amigos.

Turma de Jacobina Travessias de Asa Delta SPOT Blog

A rotina diária era mais ou menos assim: após as primeiras cenas de briefing do voo e análise meteorológica no café da manhã, montávamos as asas na rampa e enchíamos os equipamentos de câmeras usando as mais complexas ‘gambiarras’. A equipe de produção acabava ajudando nas decolagens, segurando os cabos nos momentos de maior turbulência e ventos fortes, o que aconteceu na maioria dos episódios.

Com os pilotos no ar, começava a maratona que normalmente durava até o pôr-do-sol. No ar, os três pilotos viviam sua aventura, buscando a melhor forma de navegar pelo ar e voar o mais longe possível em suas travessias. Em terra, a equipe tentava se manter sempre por perto, com estradas que nem sempre favoráveis para isso. Cada voo é uma aventura e muitas vezes o roteiro ia sendo escrito ao longo da sucessão dos fatos. Isso contribuiu para a genuinidade do projeto, que adotou um formato ‘reality’ – imprevisível e cheio de altos e baixos – que tem tudo a ver com o esporte. Alguns voos acabarem sendo mais fáceis do que outros; e alguns episódios mais complexos para serem editados do que outros. Respeitamos a essência dos fatos reais de cada dia. No voo livre, nenhum dia é igual ao outro; então cada episódio tem sua dose de surpresa.

Gráficos 3D Travessias de Asa Delta SPOT Blog

A comunicação de rádio dá o tom da narrativa e ajuda a audiência leiga a entender o que estava se passando. Os gráficos 3D, com nuvens, relevo e representações das ascendentes térmicas, foram responsáveis por mostrar o que nem mesmo os olhos dos pilotos conseguem ver. A combinação desses elementos tem sido muito elogiada por espectadores em vários comentários e mensagens pessoais; e isso nos enche de orgulho. Prover um melhor entendimento do esporte era um dos principais objetivos do projeto; e longas semanas na ilha de edição da Canvas foram dedicadas para o aprimoramento dessa linguagem.

Hoje vivemos o prazer de acompanhar toda essa mágica na TV e vivenciar a aceitação de pessoas de todo o Brasil. Amigos, pilotos, família e muitos fãs que nos acompanham nas redes sociais são o termômetro de um resultado que nos enche de orgulho. O ‘Travessias‘ foi feito para atender a um público leigo – maior parte da audiência do Canal Off – e eu tinha dúvidas quanto à aprovação do nicho especializado. O feedback positivo da comunidade voadora está superando em muito as expectativas e foi a surpresa mais agradável até aqui.

Asas Voando Travessias de Asa Delta SPOT Blog

Mesmo para nós que estávamos lá, é curioso reviver todos aqueles dias, um ano e meio depois de terem sido registrados. Alguns voos já seriam inesquecíveis de toda forma, mas ganham um peso especial por poderem ser revisitados ‘on demand’ pelo resto das nossas vidas no Off Play. De fato, imortalizamos a maior expedição de voo livre das nossas vidas; e isso não tem preço.

Sem mais ‘spoilers’, posso dizer que a aventura terminou com todos juntos, sãos, salvos e felizes em Jericoacoara, no Ceará. Ali nascia mais uma família autointitulada ‘Revoantes’, que apesar das distâncias, seguiria em contato e unida. Enquanto uns seguem voando, produzindo e levando suas vidas, permanecemos ligados para sempre pelas lembranças daquelas aventuras que jamais serão esquecidas.

Acompanhe ‘Travessias de Asa-Delta’ todas as terças, às 21h30, no Canal Off.

www.canaloff.com/travessiasdeasadelta
www.facebook.com/travessiasdeasadelta/
www.instagram.com/travessiasdeasadelta

Compartilhar no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *