Uma Chapada encantadora e pouco explorada no Brasil

Para quem gosta de estar em contato com a natureza e colocar o pé em lugares menos turísticos e mais inexplorados, vale muito ir até o Maranhão e conhecer o paraíso do Parque Nacional da Chapada das Mesas. Esse Parque protege mais de 160 mil hectares de cerrado nos municípios de Carolina, Riachão, Estreito e Imperatriz, no centro-sul do estado.

A região é muita rica em espécies de animas e plantas, com um grande potencial turístico por suas belezas naturais. O símbolo da Chapada das Mesas é uma fenda em forma de “G”, que ganhou nome de Portal da Chapada, de onde é possível ver uma enorme planície coberta por troncos retorcidos do Cerrado. Existem platôs avermelhados — “as mesas” —, como o Morro do Chapéu, com 378 metros de altura, sendo o ponto mais alto da Chapada.

Chapada das Mesas Karina Oliani SPOT Blog

A cachoeira de São Romão — a maior da chapada em volume de água — tem uma queda d’água de 25 m de altura (mas com um volume impressionante) e uma “pequena praia” onde é possível tomar banho às margens do Rio Farinha. Atrás da cachoeira, há uma espécie de caverna, onde andorinhas fazem seus ninhos. Dá para adentrar uns 5 metros por baixo da queda, mas não muito mais do que isso… E nem ir atrás, justamente por causa das aves que vivem lá.

Outro lugar inesquecível é o Complexo da Pedra Caída. Lá é possível fazer uma trilha de 600 metros e conhecer a cachoeira mais exótica da Chapada, a do Santuário, dentro de um paredão de pedra todo circular. É um cânion meio escuro, mas com raios de luz do sol que adentram pelo topo e refletem nos 46 m de queda d’água. O Complexo fica a 36 quilômetros do centro de Carolina e tem uma grande área destinada exclusivamente ao ecoturismo e ao turismo de aventura, onde se encontram 25 quedas d’água.

Chapada das Mesas Karina Oliani SPOT Blog

O Morro do Chapéu, uma montanha de cume plano com 378 metros de altura, tem pontos tão íngremes que parece ser impossível de se chegar ao topo. Mas seguindo por valas abertas pela chuva dá para chegar lá em cima e ter a recompensa de ver tudo do ponto mais alto e se maravilhar com a beleza do lugar.

Outro cartão postal é o Encanto Azul. Para ir até lá, é preciso pegar um pedaço da Transamazônica. Ao chegar, é preciso fazer uma trilha beirando um cânion até dar de cara com um poço azul turquesa — é de fazer queixos caírem —, uma nascente de água que gera uma linda piscina natural onde se pode flutuar e sonhar.

A melhor época para ir até a Chapada das Mesas é entre os meses julho e dezembro (que é o “verão” deles). Por conta das poucas chuvas, esse período é o ideal para se divertir nas cachoeiras da região. Outro passeio legal também é sair de barco pelo Rio Tocantins, navegar rio acima e aproveitar para ter a vista das chapadas de outro ângulo. Estando lá, você vai se deparar com uma pedra enorme que se ergue no meio do rio!

Chapada das Mesas Karina Oliani SPOT Blog

Minha semana nesse paraíso só aumentou minha consciência de que precisamos cuidar com mais carinho do nosso planeta e fazer tudo que estiver ao nosso alcance para preservar seus recursos. Agradeço à SPOT por estar comigo em mais uma aventura espetacular e tornar ela ainda mais segura!

Fotos de Seu Melhor Click / Marcelo Rabelo

Compartilhar no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *