O impacto do lixo plástico e a preservação dos oceanos

O texto a seguir foi enviado pelo Guilherme Gevaerd, formado em Ciências da Computação, mas com uma paixão pela natureza e oceanos imensa. Guilherme acumulou sua indignação ao perceber como as pessoas poluem os oceanos com lixo plástico, e criou o projeto Word Coast Jorney for the Preservation of the Seas: Jornada pela Costa do Mundo pela Preservação dos Oceanos. A viagem é dividida em 8 partes, passando por todos os continentes de barco, acompanhando o que cada país tem feito para reduzir o impacto negativo sobre os oceanos, e iniciativas para despoluir os mares.


lixo plástico, mundo, preservação dos oceanos, náuticas, natureza, animais marinhos

O projeto começou há 4 anos, com objetivo de percorrer toda a costa do mundo com meios de transporte que não poluem, para chamar a atenção sobre os problemas do lixo e do plástico nas praias e nos oceanos. Já foram percorridos mais de 30.000 km de bicicleta pelas costas do mundo e mais de 15.000 milhas náuticas (27.780 km) em um veleiro, passando por mais de 30 países.

O foco é apresentar o projeto em escolas, mostrando para as crianças, que são o futuro do mundo, os problemas do lixo e do plástico, e conscientizá-las sobre os impactos que geramos na natureza e o que acontece com os animais. Todos os anos morrem 1 milhão de pássaros marinhos como pelicanos, albatrozes e pinguins por ingestão do lixo e do plástico. No Havaí, por exemplo, 87% dos pássaros mapeados no local tinham plástico no estômago.

A cada ano morrem 100 mil animais marinhos como tartarugas, peixes, baleias, tubarões e golfinhos pela ingestão do lixo e do plástico. Os alimentos naturais das tartarugas marinhas são medusas e águas-vivas. Mas pela semelhança, elas se confundem e comem sacolas de plástico, causando assim bloqueios no sistema digestivo. 80% das sacolas de plástico produzidas no mundo são utilizadas apenas uma vez. Por isso é importante o uso de sacolas reutilizáveis.

8 milhões de toneladas de plástico vão para os Oceanos todo ano, e existem lhas de plástico no meio dos Oceanos, que são formadas pelas correntes oceânicas. A maior delas fica no Norte do Oceano Pacifico e o tamanho pode ser comparado com a região sul do Brasil.

O plástico em contato com o oceano vai se fragmentando em pequenos pedaços, menores que 5 mm, denominados micro-plástico. Os peixes comem essas lascas e o organismo tem dificuldade em absorvê-las, depois nós comemos os peixes, e sofremos frequentemente com intoxicações alimentares, sem saber o motivo, quando nós mesmos somos os causadores.

lixo plastico oceano poluição

Em uma estatística interessante, observando-se o volume de produção de plástico no mundo e a evolução das populações de peixes, vemos que hoje temos 1 kg de plástico no mar para cada 5 kg de peixe. Se nada for feito, em 2025 teremos 1 kg de plástico para 3 kg de peixe. E em 2050 teremos mais plástico que peixes nos nossos oceanos.

A inspiração para o projeto foi uma viagem de bicicleta pela costa do Nordeste do Brasil, onde vi muito plástico pelas praias e algumas tartarugas mortas. Visitando o projeto TAMAR, que cuida das tartarugas marinhas na costa do Brasil, descobri um dado que me chocou muito: 80% das tartarugas encontradas mortas na costa do Brasil ingeriram algum material plástico. E seguindo a viagem até Morro de São Paulo, conheci outro o projeto que trabalhava com
crianças ensinando a importância da reciclagem, mostrando os problemas do lixo na ilha e fazendo brinquedos com material reciclado. E foi assim que decidi deixar meu trabalho de engenheiro de software, e assim nasceu a ideia do projeto Jornada pela Costa do Mundo pela Preservação dos Oceanos.

lixo plástico, projeto tamar, tartaruga, animais marinhos, preservação dos oceanos

lixo plástico,spot gen 3, preservação dos oceanos, ilha de madeira, atlântico do caribe.
Atualmente o projeto encontra-se nas ilhas de Madeira, em Portugal, onde acabamos de cruzar o Atlântico do Caribe. A SPOT Brasil é patrocinadora do projeto com o SPOT Gen 3, e você pode acompanhar o andamento do projeto em nosso Site e no Facebook.

Compartilhar no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *