5 dicas de como melhorar sua fotografia outdoor

fotografia, fotografia outdoor, aventura, trekking, dicas de fotografia, viagem
Fotógrafo Lucas Gobatti acompanhado do SPOT Gen3.

Vamos combinar, fotografar é a mesma coisa que olhar. Se você tomou tempo pra olhar ao longo da vida, fotografar fica um exercício imediato: é aprender a converter aquilo que você já vê — ou pelo menos sabe que está ali — pra uma imagem. E através de um instrumento, a câmera.

Pra isso, queria trazer algumas dicas que me ajudaram nesses dois momentos. O momento de aprender a olhar e o momento de aprender a converter o que se olha (o que se imagina que se olha? O que se vê? O que parece ser? O que é? O que parece que está sendo? O que a gente sente como sendo, mas não sabe se realmente é? O que é e a gente não vê?) para uma fotografia.

Começamos com o principal: aprender a olhar, pra conseguir ver. Depois vamos pra algumas formas de facilitar como se transforma aquilo que a câmera pode olhar (e não ver, quem vê é só a gente) numa fotografia, para que a gente possa ver através do que a câmera olha.

1. Consciência plena do momento presente

Nenhuma fotografia é tirada no passado ou no futuro. As fotos acontecem aqui e agora. Estar plenamente conectado com o momento presente é a chave para perceber as dinâmicas da Natureza ao seu redor e os pequenos cosmos e ecossistemas acontecendo, por exemplo, na superfície de uma única folha daquela árvore. E, claro, sempre também com a consciência das dinâmicas naturais que aconteceram no passado e vão acontecer no futuro, para que a gente possa se preparar melhor ainda pra quando o futuro virar presente.
O que eu uso pra melhorar isso: a meditação! Aprender a meditar e exercitar isso sempre que possível é a ferramenta certa para aumentar a concentração sobre seu entorno.

fotografia, montanhismo, meditação, trekking, fotografia de aventura, natureza, viagem

Montanhistas descansando e apreciando o momento presente em ascensão ao Vulcão Incahuasi, na Cordilheira dos Andes, de 6621msnm.

2. Tirar menos fotos

Hoje em dia com a fotografia digital, o ato de clicar foi um pouco banalizado. A gente sai abrindo e fechando o obturador para capturar tudo o que existe e, no meio desse excesso de material e informação, a gente se perde pra encontrar o que é realmente representativo no meio de tudo isso.
O que eu uso pra melhorar isso: tente fazer o exercício de sair pra uma viagem e estabelecer um limite de fotos. Para um fim de semana todo, só cinco fotos, por exemplo. Com isso você vai entender muito daquilo que é fotografável pra você, daquilo que não é, e vai poder se questionar sozinho o porquê isso ou aquilo pode fazer uma foto bonita ou não.

fotografia, montanhismo, trekking, fotografia de aventura, natureza, viagem, trilha, Bivaque no Pico do Lopo

Bivaque no Pico do Lopo, dois dias de trilha em que essa foi a única foto tirada. Panorâmica de duas fotos.

3. Lentes grande-angulares com boa abertura de lente

Lentes grande angulares fazem uma diferença enorme no produto final de uma fotografia de paisagem. São as que mais se aproximam do efeito da visão humana e que criam uma conexão grande nossa com aquilo que é fotografado. Esse efeito também pode ser conseguido através de panorâmicas com lentes com menor ângulo de abertura, mas pra isso precisa de um tripé. A facilidade de uma grande angular é poder captar essas cenas de maneira rápida e eficiente.

Da mesma forma, lentes com grande abertura de diafragma ajudam a captar fotos mais claras, sem ter que aumentar demais a sensibilidade do sensor e portanto granular a imagem. Essas lentes são, por exemplo, as f/2.8, comuns em grandes angulares.

fotografia, fotografia de aventura, natureza, viagem, floresta amazônica

Gustavo na palafita em frente à sua casa, no Rio Canaticu, Ilha de Marajó, Floresta Amazônica. Foto tirada em 12mm com sensor crop da Nikon, resultando em 18mm.

4. Dominar a edição de imagem

Muito importante no produto final da foto é a sua pós-produção. Da mesma forma que existe um preparo grande antes de tirar a foto, também tem bastante trabalho pela frente depois que a foto foi clicada.

Dominar um bom software de edição de imagens como o Adobe Lightroom é essencial para poder usar dessa ferramenta para dar mais expressão à foto e chegar mais perto do sentimento que a gente quer transmitir.

O que eu uso pra melhorar isso: uma forma muito lúdica e fácil de entender como usar o Lightroom é ir puxando cada um dos parâmetros para um lado e pro outro e ir sentindo visualmente como a fotografia muda com cada um deles. No começo é normal testar tudo e às vezes até se confundir um pouco com o que mudou e o que não. Mas, conforme o tempo passa, você vai ficando mais e mais consciente de como cada parâmetro afeta sua fotografia.

fotografia, trekking, fotografia de aventura, natureza, viagem, trilha, lightroom, floresta amazônica

Antes e depois da pós produção em Lightroom em fotografia tirada no meio de plantação de açaí na Ilha de Marajó, Floresta Amazônica.

5. Filtros

Pouca gente usa, mas são ferramentas incríveis pra ajudar na captação de imagens outdoor. O filtro polarizador, por exemplo, funciona como uma veneziana e ajuda que a luz captada seja preferencialmente do objeto a ser focado, e não aquele monte de reflexos e raios vindos de todos os cantos. Ele pode ser usado para escurecer o céu, por exemplo, ou mesmo para tirar os reflexos de luz na superfície de um lago, possibilitando ver melhor seu fundo.

O filtro de densidade neutra, outra grande ferramenta, possibilita fazer imagens em longa exposição sem “estourar”, ou seja, captar luz demais. É com ele que conseguimos fazer longas exposições durante um dia com luz intensa.

O filtro graduado é outro interessante. Ele é um densidade neutra que cobre parcialmente o enquadramento da câmera. É com ele que conseguimos, por exemplo, num nascer ou pôr do sol, escurecermos o céu para equilibrar sua fotometria muito mais clara com a fotometria mais escura na terra, abaixo da linha do horizonte. É possível combinar duas imagens e mesclar na pós produção, mas o filtro graduado economiza esse trabalho e gera um produto de maior qualidade.

fotografia,trekking, fotografia de aventura, natureza, viagem, serra da mantiqueira, trilha

Fotografia de bromélia tirada na Serra da Mantiqueira usando filtro infra-vermelho.

Essas são 5 dicas valiosas para melhorar a sua fotografia outdoor! Todas elas que uso sempre que saio para fotografar a Natureza.

A fotografia é um instrumento incrível de consciência e de realidade aumentada. Através dela que conseguimos saber mais sobre as leis da Natureza e o ambiente que nos cerca. Agradeço pela oportunidade de ter à disposição essa ferramenta e espero que todos aqui façam bom uso dela! 🙂

Compartilhar no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *